segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Em causa própria





      «Passamos dias, semanas a moer o juízo em vão e quando fazemos a pergunta, não sabemos responder se continuamos a escrever por mero hábito ou por procurarmos prestígio, ou porque não aprendemos a fazer outra coisa, ou por a vida nos deslumbrar, por amor à verdade, por desespero ou por indignação, tal como não sabemos dizer se escrever nos torna mais sensatos ou mais tolos.»  1



      Talvez apenas para construir mundo. Para perguntar. Para arriscar duas ou três respostas. Para pôr em dúvida aquilo que acabámos de dizer. Para acrescentar ruído ao ruído do mundo. Alguém acabará por ouvir.






1. W. G. Sebald, Os Anéis de Saturno: Uma Romagem Inglesa, trad. de Telma Costa, Editorial Teorema, 2006, p. 176,177.